Avaliação e esperança

jan, 2016

Edição 119 – Dezembro 2015
Por Jobson Modena

Este foi um ano de grandes mudanças na proteção contra descargas atmosféricas, graças à publicação da ABNT NBR 5419:2015 – 1 a 4, em 22 de maio.

O assunto foi divulgado como tema nos CINASEs de Joinville, Recife e Brasília, com alcance de mais de mil pessoas, além de palestras em mais cinco estados, com uma média de duzentas pessoas por evento. Além disso, aproximadamente 300 profissionais interessados na atualização dos conceitos normalizados participaram de nossos cursos, realizados em três estados.

Como as alterações em questão são numerosas, significativas e cheias de detalhes (o texto revisado tem mais de 300 páginas, contra 42 da versão anterior), o proporcional desconforto causado irá persistir por algum tempo. No entanto, com a amostragem realizada nos números apresentados (referências tomadas de apenas um dos cinco agentes multiplicadores que fizeram parte efetiva da comissão de revisora), podemos entender que a procura por atualização vem superando as expectativas e em breve retomaremos a normalidade, mas “uma oitava acima”.

Não temos a ingenuidade de achar que a versão 2015 da 5419 veio para acabar com os absurdos praticados na proteção contra descargas atmosféricas por aqueles que sequer conhecem as versões mais antigas do documento. Normas não são feitas para restringir práticas de pessoas preguiçosas ou mal-intencionadas, mas para ajudar a padronizar as atitudes daqueles que querem fazer as coisas de maneira coerente.

Seguimos esperando o melhor e entendendo que somente fazendo o certo conseguiremos extirpar o monumental numero de coisas erradas existentes no país, nos despedimos de 2015 agradecendo a todos aqueles que, como nós, independentemente de credo, raça, partido político, convicções sexuais e modismos criados para desviar a atenção dos incautos, seguem lutando pela convicção da boa prática da engenharia, com segurança e custo adequados.

Avante, 2016!

Comentários

Deixe uma mensagem