Acidentes de origem elétrica matam quase duas pessoas por dia

jun, 2017

A Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade (Abracopel) lançou, no mês de maio deste ano, o Anuário Estatístico Brasileiro dos Acidentes de Origem Elétrica, documento que traz uma série de dados e números a respeito dos acidentes registrados no país em decorrência do mau uso da eletricidade.

Entre os anos de 2013 e 2016, foram contabilizados 4828 acidentes com causa elétrica – choque elétrico, incêndios por curto-circuito e descargas atmosféricas. As estatísticas são geradas pela Associação a partir da investigação de notícias veiculadas na imprensa. Somente em 2016, foram 1319 acidentes, dos quais 662 foram fatais. Entre as mortes, 599 ocorreram por choque elétrico, 33 foram consequência de incêndios provocados por curtos-circuitos, e 30 em decorrência de descargas atmosféricas.

De acordo com o documento, a maior concentração de mortes por choque elétrico deu-se na região Nordeste, em que 271 pessoas perderam suas vidas em 2016, a grande maioria entre 21 e 40 anos.

Uma pesquisa realizada pela Abracopel e Pelo Instituto Brasileiro do Cobre (Procobre) mostrou que quase todas as casas pesquisadas possuem, ao menos, um item que não atende à norma técnica. As instalações residenciais são as mais precárias e concentram a maior parte dos acidentes. Segundo o Anuário da Abracopel, é comum encontrar em residências produtos de qualidade duvidosa e instalações realizadas por profissionais não qualificados.

Outro dado preocupante diz respeito aos acidentes envolvendo profissionais. Mesmo após 12 anos de publicação da revisão da NR 10 (que traz uma série de exigências para garantir a segurança das pessoas que trabalham com eletricidade), profissionais ainda não seguem procedimentos de segurança e se acidentam. Para se ter uma ideia, em 2016, ocorreram 75 acidentes na rede aérea envolvendo profissionais.

“Não consigo enxergar uma ação efetiva do governo e também das empresas para a segurança dos trabalhadores na área de eletricidade. Passados 12 anos do texto atual da NR 10, ainda vejo inúmeras empresas, para não dizer a maioria, fazendo o mínimo para não ser autuada”, analisa o diretor executivo da Abracopel, Edson Martinho.

O Anuário de Estatísticas na íntegra pode ser encontrado no site da Abracopel.

Comentários

Deixe uma mensagem