Acessórios para cabos de média tensão

mar, 2016

Edição 121 – Fevereiro de 2016
Por J. C. Felamingo*

O objetivo deste artigo é orientar sem, contudo, jamais esgotar as práticas relativas a este tema

A própria história nos mostra que, apesar da evolução das tecnologias em acessórios para cabo de qualquer classe de tensão, ao final do dia, a dependência está em “como” o instalador/montador realizou seu trabalho. Seja funcionário da empresa ou contratado, é deste profissional que depende um bom desempenho de qualquer acessório.

Entra ano, sai ano, a história será sempre a mesma: 99% dos 1% de falhas em acessórios acontecem por problemas em sua execução ou montagem. Há muitos e muitos anos, as execuções eram praticamente obras de arte, e, raramente, falhavam a taxas muito altas (não há registros de percentuais muito precisos) pelo fato de serem obras de arte e de que muitos cuidados eram tomados. Entretanto, nos dias de hoje, com conjuntos “pré-engenheirados” fornecidos ao mercado há pelo menos 30 anos e nos conjuntos moldados que existem desde o final da década de 1960, podem ser bloqueados muitos problemas com pré-dimensionamento de componentes, mas os problemas acabam nos 1% e quase que em sua totalidade dizem respeito à montagem.

Face a esta realidade, é necessário que se foque no homem e, para tanto, programas de reciclagem devem fazer parte da agenda de instaladores/montadores de acessórios para cabos. Para a facilitação e proteção da vida destes seres é que dedicamos o artigo “Truques do negócio”, a seguir, em apoio ao instalador/montador. Assim, os engenheiros que lerem estas poucas linhas podem também praticar e divulgar.

Truques do negócio

Seguiremos um roteiro básico para a melhor prática de execução de acessórios para cabos, focando, especialmente, a média tensão. Siga sempre as práticas de segurança da sua empresa ou da empresa contratante, pois são elas as responsáveis por proteger a sua vida.

Liderar um grupo de campo requer consciência, em especial com a segurança do indivíduo e da equipe, para tanto, é imprescindível manter-se alinhado às melhores práticas das normas regulamentadoras.

A melhor instalação depende da qualificação do montador/instalador, por isso, exija o certificado de capacitação ou de reciclagem das turmas de instaladores/montadores.

Vamos nos dirigir aos profissionais instaladores/montadores, que, por muitas vezes, dedicam horas especiais de suas vidas com garra para fazer a “coisa acontecer”:

  • A boa instalação do conjunto depende de você;
  • É necessário que o conjunto de itens dos acessórios seja conferido, com base na lista de materiais ou na “lista do kit de componentes” de cada fabricante;
  • Certifique-se de que possui todas as ferramentas necessárias e que elas estejam à mão para uso quando necessário, antes de iniciar o trabalho;
  • Normalmente, as ferramentas já são de conhecimento comum, porém, vamos listar um conjunto de sugestões ao final deste artigo;
  • A instrução de instalação de um conjunto de acessórios para cabo não deve ser tomada como um enfeite ou um papel a mais contido na “lista do kit”. Os produtos sofrem melhorias continuadamente e, periodicamente, a Instrução deve ser lida novamente, pois pode ter sido melhorada em algum ponto e, assim, a execução deve ser feita passo a passo com uma nova leitura da instrução de instalação;
  • Assegure-se de ter um apoio para os cabos em manuseio;
  • Tenha em mente que aplicar acessórios de média tensão requer muita limpeza. Para tanto, preste atenção nos passos da instrução em que a limpeza é mencionada. A limpeza garantirá uma boa parte da boa execução da tarefa para média tensão;
  • Verifique o clima no ambiente da instalação. Eventualmente, será necessária a criação de uma cobertura, no caso de haver muita influência do clima;
  • Certifique-se de haver sempre alguma sobra de cabo para manuseio nas condições finais da instalação, no caso da necessidade de uma emenda, por exemplo;
  • Realize as marcações das medidas a abrir ou cortar sempre em conformidade com a instrução do fabricante do acessório, lembrando que cada fabricante poderá ter uma medida próxima da do outro, mas cada medida vale para cada fabricante individualmente. As engenharias de cada fabricante pensam de forma a interagir com o acessório que foi criado por elas, assim, cada caso é um caso;
  • Certifique-se das características de cada cabo a ser trabalhado. Às vezes, trabalhar com modelos tecnológicos diferentes exigirá uma conduta diferente, como, por exemplo, remover uma semicondutora de um cabo “easy-strip” ou remover uma semicondutora de um cabo extrudado, e assim por diante se for um cabo EPR ou XLPE, etc.;
  • Alguns passos podem facilitar sua execução: para a remoção da semicondutora, é de extrema importância que nenhum material condutor fique sobre a superfície isolante, que o corte da semicondutora seja reto e sem nenhum dano à isolação;
  • Em cabos de tripla extrusão, use ferramentas de remoção de semicondutora do tipo “torneamento”.
  • Em cabos com semicondutora do tipo “easy-strip”, marque com uma fita o ponto correto e, então, lime o contorno todo até que comece a aparecer a isolação, desta forma, cortes na isolação são evitados.
  • Em cabos isolados a papel impregnado, siga instrução do fabricante do cabo.
  • Quando chegar ao ponto de realizar a compressão, seja ela por ferramenta hidráulica ou por parafuso do tipo cabeça fendida, lembre-se da sequência: ela deve vir sempre de fora (extremidade) para dentro do cabo. Se a compressão for hidráulica, use sempre a matriz correta. Se a compressão for por aparafusamento, lembre-se das faixas de apertos para os respectivos diâmetros de condutor;
  • Agora é com você, montador, execute o seu trabalho com respeito à instrução de cada fabricante, aplicando cada item no momento em que o fabricante sugerir e da forma como ele recomendar;
  • Faça a reciclagem, ao menos, a cada 18 meses ou com intervalos menores que este.

Aos colegas engenheiros e comandantes de atividades como esta, lembrem-se de que a vida dessas pessoas depende do seu nível de exigência e comando, além de que os resultados de suas operações dependem da boa execução dos acessórios de cabos de média tensão, que contam com um grande n&uacute

;mero de consumidores conectados, seja pela média ou baixa tensão, após a transformação da tensão.

Anexo

Ferramentas do montador

Cada empresa tem suas práticas e modelos de execução. A lista a seguir é apenas uma sugestão:

  • Lápis branco, apontador;
  • Martelo de pelo menos 300g;
  • Chaves de fenda de 3,5 e 6,5 mm;
  • Arcos de serra médio e pequeno, com respectivas serrinhas;
  • Chave inglesa, alicate, alicate de bico, alicate de corte, tenazes (truquês);
  • Tesoura, escova de aço, faca pequena, faca de punho, estilete;
  • Jogo de limas fina, média, grossa e triangular;
  • Sacador de semicondutora;
  • Material de limpeza;

*José Marconi Neto é engenheiro eletricista e diretor da ACCESSO Infra / Richards Manufacturing. 

 


 

Comentários

Deixa uma mensagem

%d blogueiros gostam disto: